Como funciona o olhar da morte?

Questão Nerd
6 dez 2018
Imagem
Ilustração da capa de livro clássico de HP Lovecraft, The Dunwich Horror
Ilustração da capa de livro clássico de HP Lovecraft, The Dunwich Horror

Hoje começa a quinta edição da CCXP (Comic-Con Experience), um enorme festival de cultura pop. Além de MUITA gente (organizadores esperam mais de 260 mil pessoas durante os 4 dias) diversos lançamentos serão apresentados de hoje até domingo.

Como principais participações, o festival contará com a presença de Brie Larson, que interpretará a Capitã Marvel-espancadora-de-velinhas-Skrulls nos cinemas.

Outra grande celebridade confirmada é Sandra Bullock, que vem para promove o filme Bird Box, suspense original Netflix baseado no livro homônimo escrito por Josh Malerman e publicado em 2014. O filme pós-apocalíptico parece seguir bem a receita que dá certo em muitos seriados Netflix: flashbacks contando o passado da personagem, intercalando com o presente. Estreia programada para o dia 21 de dezembro.

O livro (consequentemente o filme) é baseado no melhor estilo Lovecraft: descrever a criatura o suficiente para que o leitor crie a própria imagem do ser. Na trama, assim como em O Chamado de Cthulhu, o simples fato de olhar para a forma incompreensível da criatura pode levar o espectador à loucura. Portanto, em Bird Box, cabe ao leitor imaginar como seriam os “monstros” cuja aparência faz com que pessoas e animais cometam suicídio. Com isso, Malorie (Sandra Bullock) e seus filhos têm que se deslocar pela cidade com os olhos sempre vendados, o que pode ser um pouco complicado, quando você tem que atravessar um rio.

Algumas teorias sobre o livro dizem que as criaturas poderiam ser representadas em quatro dimensões. Isso bugaria o cérebro humano e duvidaríamos da nossa existência. Tudo perderia o sentido. Tem uma explicação detalhada de como seria isso aqui.

Confesso que fiquei com uma mini-crise de existência depois de ver o vídeo.

Mas vamos a uma explicação um pouco menos elaborada e baseada na biologia, que é uma área legal para encontrar exemplos de criaturas que apresentam formas e comportamentos exóticos para todo o tipo de propósito.

O choco, ou sépia, é um molusco da mesma classe dos polvos e que possui células especiais, os cromatóforos. São essas células que permitem o choco se camuflar e despistar predadores. Essa habilidade também serve para o molusco atrair e paralisar presas. O alimento favorito do choco é um caranguejo, que pode não gostar muito da ideia de ser comido. Porém, ao entrar em ação, o choco muda tão maravilhosamente de cor e com um padrão tão sincronizado, que o caranguejo fica lá, admirando o show. No fim ele é devorado, mas assistiu um dos mais belos espetáculos da natureza antes de morrer.  Clique aqui para ver esse ritual do choco.

As criaturas de Bird Box poderiam ter esse padrão de comportamento, com a diferença de que isso despertaria nos humanos um gatilho para vivenciar os mais terríveis medos. Lovecraft puro!

Avistar a criatura poderia deixar as pessoas tão sobrecarregadas com sentimentos de tristeza e desespero que elas achariam que não têm outra opção, além do suicídio. A literatura acadêmica indica que pessoas mais propensas ao suicídio sentem-se presas, sozinhas, ansiosas ou agitadas. No pouco que podemos ver do trailer do filme, algumas vítimas passam essa impressão. Talvez as criaturas projetem isso na mente das pessoas pelo olhar.

Tentando encontrar um paralelo, em nosso mundo dito real, existem vários episódios de suicídio em massa na história, principalmente associados a momentos pós-guerra e a cultos ditos religiosos. Um dos mais famosos, que aconteceu nos anos 90, mais precisamente em 1997, foi o caso da seita “Heaven’s Gate”.

Essa era uma seita religiosa de óvnis, sediada em San Diego, Califórnia, fundada em 1974 e liderado por Marshall Applewhite (1931-1997) e Bonnie Nettles (1927-1985). Eles alegavam, dentre outras coisas, serem descendentes diretos de Jesus Cristo. Os integrantes do movimento também acreditavam que o planeta Terra precisava ser reciclado, e que era preciso abandoná-lo imediatamente.

Haveria várias formas de deixar a Terra. Uma delas seria odiar o planeta suficientemente, abdicando de prazeres terrenos como fast-food e sexo. A outra seria pegar carona em uma nave espacial que estava na cauda do cometa Hale-Boop - que naquele momento era visível da Terra – e com isso seriam levados para sua nova casa no espaço.

E como a seita acreditava que eles poderiam embarcar na nave? Os líderes da Heaven's Gate consideraram a aparição do cometa como um sinal para levar a cabo um suicídio coletivo. Alegaram que teriam que abandonar os seus corpos terrenos para poderem viajar em direção à nave, rumo a uma vida de iluminação. Todos da seita se envenenaram… policiais encontraram 39 corpos dos membros que acreditaram na história. Todos vestiam roupas parecidas e um mesmo calçado, um Nike preto. A empresa descontinuou a linha após o acontecimento, por razões óbvias

A seita também foi pioneira em utilizar a Internet, introduzida aos consumidores no início de 1990. Eles começaram a usar a nova tecnologia para compartilhar suas crenças com um público mais amplo e atrair novos membros. O grupo recluso também obteve grande parte de sua receita gerando páginas da web. O site ainda existe! Pode ser acessado aqui, e se você tiver um momento nostalgia ao ver o site, saberemos que você também chegou na internet quando tudo era mato.

Melhor que as criaturas de Bird Box se pareçam com os chocos do que com adoradores suicidas de de óvnis. Tomara que vocês encontrem apenas com a Sandra Bullock na CCXP. Se encontrarem alguém de tênis preto que quer pegar carona em um cometa, não olhem nos olhos dele!

Luiz Gustavo de Almeida é biólogo e pesquisador do Laboratório de Genética Bacteriana do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo, coordenador dos projetos Cientistas Explicam e Pint of Science na cidade de São Paulo

Sua Questão

Envie suas dúvidas, sugestões, críticas, elogios e também perguntas para o "Questionador Questionado" no formulário abaixo: